28 de novembro de 2011

Sobre o segredo da força


Não importa que o tempo
Queira lavar a tua memória.
Eu te abraçarei com ternura
E a cada dia mais forte
Até chegar o momento
Em que te revelarei a história
Da criança feliz que fui
Agarrado à tua mão.
Então me olharás profundo,
Verás em mim teu menino
E tudo recomeçará!
Eu sugarei tua seiva,
A força da tua alma.
Tu sonharás meu futuro,
Brincarás de roda comigo
E me amarás com o vigor
De quem sabe fazer do amor
O seu destino.

À minha doce e querida mãezinha, Dona Leila Lúcia Duarte de Carvalho, que luta contra o Alzheimer com a força afetiva do seu enorme coração.

Poema do livro Canção para despertar os pássaros & novos planos de voo.

6 comentários:

Berzé disse...

Sempre muita ternura.
Abração, Adlei!
Berzé

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

E você, amigo, sempre muito carinho comigo. Obrigado!

Cacá - José Cláudio disse...

Que homenagem maravilhosa, Adlei! Eu me lembrei de uns versinhos (acho que todos os pais amorosos pensam assim acerca dos filhos) que até hoje não consegui descobrir a autoria mas me acompanham desde muito tempo.

"As sementes do medo não brotarão nos teus olhos inocentes,
Nem a noite marcará com tinta opaca teu pequenino coração.
Eu te prometo alcançarmos nossa bandeira, onde nenhum sapato possa alcançar.
E cantaremos canções livres como as borboletas,
Brincaremos com o vento e o arco-íris,
Sem bicho papão ou boi da cara preta."

Grande abraço e ótima semana.

Saúde!

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

Amigo Cacá, obrigado pelo comentário. Os versinhos são, deveras, muito lindos. Segundo minha pesquisa, são do músico Jair Benedito Gonçalves do Nascimento, o "Jica", fundador do Grupo Tarancón.

Beijo no seu coração!

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Realidade e poesia...

Abraço.

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

CC, querido, obrigado!

Grande abraço!