15 de outubro de 2011

Ouvindo Beethoven


No lado oculto dos olhos
Um corcel galopa veloz,
Atinge o alto penhasco
E dele se lança no espaço.
Rufla as asas crescentes,
Transforma-se em albatroz.
Desliza trépido ao vento,
Seguindo o andar do arrebol
Que corre em Allegretto
E fulge em bola de fogo
Entre o céu e o mar.

Vai solitariamente,
Deixando guizos que ecoam
Entre as colinas distantes
E atingem a amplidão.

Vai
Desfazendo-se aos poucos
Até se confundir com o ar
Que tento agarrar em vão
No extasiado suspiro
Do último acorde.

Poema do livro Pequeno tratado sobre o grande nada & outras insignificâncias.

Um comentário:

Berzé disse...

Sempre muito bom!
Abração, Adlei!
Berzé