20 de outubro de 2010

Cultivar estrelas

Precisamos urgentemente
Colher as estrelas do chão.
Essas pequeninas gotas de luz
Que brotam pelas sarjetas,
Brincam nas poças d’água,
Exibem barrigas nuas
Entre as entranhas das ruas
E por estranhas vertigens,
Correm na contramão.

Sim,
Temos que colhê-las!
É preciso dar-lhes
De beber mais alma
E de comer mais carne,
De ouvir mais cantigas
E dizer mais versos,
De galgar mais terras
E sonhar mais nuvens.

Poderemos mesmo alcançar
Que um dia brilhem além,
Bem mais além das nuvens,
Se fizermos, com sinceridade,
Que creiam na possibilidade
Da amplidão.

5 comentários:

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

É uma possibilidade...

Berzé disse...

Adlei,
Nossa Senhora!

É urgente!gota a gota, estrela a estrela. Tem que doer, não tem outra saida.Mas, vamos lá!

Berzé

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

Amigos CC e Berzé,

Obrigado, queridos!

Anônimo disse...

Carvalho,

Uma estrelinha este poema.

Cida

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

Querida Cida,

obrigado!

Grande beijo!