28 de abril de 2009

Paz

Quero a paz
Daquela árvore distante,
Plantada no topo da montanha,
Onde pássaros se refestelam
À luz crepuscular
E se recompõem da fatigante
E prodigiosa tarefa
De encantar.

Poema do livro Pequeno tratado sobre o grande nada & outras insignificâncias.

7 comentários:

Lilian disse...

Realmente vc é um poeta.

Sua alma é linda!!

Te amo!!

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

Oi Amor,

obrigado pelo comentário.

Bjo.

douglas D. disse...

obrigado pela visita.

Rubens da Cunha disse...

olá Adlei

obrigado pela visita ao Casa de Paragens

abraços
Rubens

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

Douglas e Robens,

caros poetas, eu é que agradeço pelos poemas que li.

Abraços,

Ádlei.

Fátima Ricci disse...

Gosto muito de concisão. E parece que você também. Esta é um mimo de perfeição, a meu ver. Parabéns, colega de Palavras Veladas!

Abraços!
P.S. - Também não irei ao lançamento do livro...

Ádlei Duarte de Carvalho disse...

Oi Fátima Ricci,

Agradeço de coração pelo comentário.

Também gostei muito do que li no teu blog.

Que bom saber que temos mais uma escritora de qualidade em Minas Gerais...

Forte abraço.